Drywall no Brasil: Reflexões Tecnológicas

Drywall no Brasil: Reflexões Tecnológicas

Autor: Cláudio Mitidieri*

Data da década de 1970 a implantação da primeira fábrica no Brasil para produção de chapas de gesso acartonado, atualmente conhecidas como chapas de gesso para sistemas drywall.

Nesta mesma década de 1970 houve um esforço muito grande do setor da construção civil, particularmente do sub-setor edificações, no sentido de implantar métodos e processos racionalizados de construção e sistemas com emprego de componentes pré-fabricados. Nasceram grandes conjuntos habitacionais com emprego de alvenaria estrutural, sistemas racionalizados de formas e diversos tipos de pré-fabricados de concreto.

Este esforço persistiu durante a década de 1980, com a construção de canteiros experimentais, empregando-se sistemas industrializados diversos, incluindo sistemas leves de construção. Porém, pode-se considerar que a década de 1990 foi mais fértil na introdução de inovações tecnológicas e sistemas industrializados, incluindo os sistemas drywall, considerando a grande abertura do mercado da construção de edifícios e a busca pela racionalização e industrialização da construção.

O IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo tem acompanhado de perto e contribuído para os avanços tecnológicos nestas últimas décadas, e foi nos anos de 1990 que os sistemas drywall começaram a ser mais difundidos no Brasil, inicialmente com a importação de produtos da Europa e posteriormente com a instalação de fábricas no Brasil. Houve uma grande preocupação do setor produtivo em demonstrar o desempenho dos sistemas para drywall, tendo o IPT desenvolvido trabalhos com os três fabricantes instalados no Brasil e emitido seis Referências Técnicas para os sistemas de paredes, as primeiras considerando ainda produtos importados e as últimas já considerando os produtos produzidos no Brasil.

Na década de 2000 a tônica tem sido a normalização dos produtos para drywall, normalização dos sistemas e a implantação de programas setoriais da qualidade, com a participação do IPT. No ano de 2001 foi publicada a primeira norma brasileira para chapas de gesso destinadas aos sistemas drywall e logo a seguir foi publicada a especificação brasileira para perfis de aço galvanizado destinados aos sistemas drywall.

O Programa Setorial da Qualidade do Drywall (PSQ Drywall) criado em 2007 sob a liderança e a coordenação da Associação Brasileira do Drywall, tem sido um programa de estruturação tecnológica do setor produtivo, tendo conquistado avanços significativos quanto à normalização técnica, práticas de controle da qualidade e combate à não conformidade. Atualmente estão em processo de elaboração as normas técnicas brasileiras referentes a projeto e execução de sistemas drywall, incluindo paredes, forros e revestimentos de paredes, no sentido de balizar o setor da construção de edifícios com parâmetros técnicos que visam obter um desempenho adequado dos sistemas.

O desenvolvimento dos sistemas drywall no Brasil também perpassam outras instituições e universidades, além do IPT, tendo sido desenvolvidos vários trabalhos e dissertações de mestrado sobre o assunto, no intuito de melhor conhecer e aprimorar o comportamento e a aplicação dos sistemas. Cita-se alguns trabalhos desenvolvidos no mestrado profissional em habitação do IPT, envolvendo práticas de projeto e execução de sistemas de paredes, avaliação em uso de paredes, práticas de projeto e execução de áreas molháveis com sistemas drywall, comportamento de revestimentos sobre chapas de gesso, etc.

Quando o conhecimento passa a ser apropriado por instituições de ensino e pesquisa aumenta a responsabilidade do setor produtivo e de toda a sociedade, pois os conhecimentos multiplicam-se e são rapidamente difundidos. Neste sentido, em uma bem-vinda iniciativa, a Associação Brasileira do Drywall reserva um importante espaço em seu site, exclusivamente voltado a instituições de ensino e pesquisa, que possibilitará acelerar a difusão de conhecimentos sobre tecnologias construtivas em drywall e permitirá estabelecer uma base de dados aplicada a materiais, componentes, sistemas, práticas de projeto, de execução e de controle da qualidade de obras.

A possibilidade de depositar documentos técnicos no site e de promover debates permanentes visa um processo contínuo de melhoria da qualidade e o estabelecimento de boas práticas para os sistemas drywall. Recomendamos aos professores, pesquisadores e alunos que façam deste um espaço de discussão e compartilhamento de informações e experiências.

* Cláudio Mitidieri – Engenheiro civil – Pesquisador do IPT/CETAC/LCSC

Fechar Menu