Sistemas Drywall: forros, paredes, revestimentos, mobiliário Paredes Paredes Forros Revestimentos Mobiliários
Acadêmico Consumidor Imobiliário Profissional

Imprensa

Isolamento acústico residencial é essencial em imóveis novos e antigos

12/05/2017
Internet

Tanto por questões fisiológicas de saúde e de bem estar tanto por questões legais, o isolamento acústico nas construções de edifícios residenciais ganha cada vez mais importância.

Com o número maior de residências brasileiras em apartamentos e também casas geminadas em condomínios, um problema antigo, o barulho dos vizinhos, está cada vez mais presente. Não bastasse conviver com a poluição sonora do dia a dia durante o horário do trabalho, esse problema acaba afetando muita gente na hora do descanso também. E não são só os vizinhos os culpados. Conforme as cidades crescem e as áreas ditas residenciais se aproximam das áreas comerciais, as nossas casas estão cada vez mais suscetíveis aos sons indesejados que vêm da rua.

Além do incômodo, há um fator de saúde nessa dinâmica urbana. Existe obviamente o perigo da perda de audição para quem é exposto constantemente a sons muito altos, mas até aquele barulho do corredor do apartamento que não nos deixa dormir bem pode ter efeitos nocivos no nosso corpo. Fora os perigos da falta de sono e do aumento do estresse, estudos divulgados pela Organização Mundial da Saúde, a OMS, demonstram efeitos fisiológicos ligados a essa rotina que podem ser perigosos a longo prazo, como dores de cabeça, gastrite e até problemas intestinais relacionados à má circulação sanguínea decorrente da poluição sonora.

Há cinco anos, uma norma da ABNT já regula o isolamento acústico em construções civis no Brasil

Não é a toa que, em 2012, o isolamento acústico em edifícios entrou em vigor na Associação Brasileira de Normas Técnicas. Desde então, de acordo com a lei 15.575 da ABNT, todos os edifícios devem se encaixar numa série de limites aceitáveis no número de decibéis em todos os cômodos. Para residências, este “limite aceitável” é o equivalente aos sons de uma conversa ou de trânsito leve, por exemplo.

Por isso, pela força da lei ou pelo bem estar das pessoas, mais do que nunca um isolamento acústico bem planejado e bem executado se torna parte extremamente importante de qualquer obra residencial.

Os tipos de isolamento e a importância do planejamento na fase de construção

Os isolamentos ou abafamentos residenciais podem ser dos mais diversos tipos e utilizar diferentes tipos de materiais. Fisicamente, as ondas sonoras podem se replicar a partir do ar, da água e de superfícies sólidas, como paredes, forros e pisos. É nessas superfícies que se aplicam as soluções a fim de isolar ou abafar os sons externos.

O isolamento acústico feito nas paredes da obra é uma das alternativas utilizadas para que o som emitido em um imóvel não interfira no outro. E a melhor forma de fazer isso é intercalando materiais estanques com determinados níveis de densidade e absorção sonora em camadas internas da alvenaria.

O ideal é que esse tipo de tratamento acústico seja feito no estágio de planejamento, o que tem forte impacto no custo do projeto. E é muito importante que os responsáveis por isso sejam especialistas, já que só alguém com experiência neste campo poderá identificar que tipo de edificação e de material poderá propagar ou não os sons externos. Um investimento nessa fase pode aumentar muito o custo-benefício futuro.

Os materiais mais convencionais na construção civil para estes fins são blocos cerâmicos, blocos de concreto, de calcário, vidro, entre outros. Mas ao longo do tempo, novas experiências deram origem a outros materiais mais específicos para isolamento acústico como a lã de vidro, lã de rocha e outras espumas acústicas e fibras especiais.

As vantagens de novos materiais como lã de vidro e da lã de rocha vão além do isolamento acústico

Dentre as vantagens dos novos materiais citados, além de garantirem isolamento térmico aliado ao abafamento do barulho, estudos apontam que materiais como lã de vidro e de rocha são incombustíveis, além de não favorecerem a propagação de fungos, bactérias, roedores e de não serem poluentes.

Construções antigas ou atuais já finalizadas também podem receber tratamento

O planejamento acústico antes de realizar a obra pode sair muito mais barato que a aplicação de soluções de isolamento para solucionar um problema em um imóvel já pronto, mas isso de maneira nenhuma quer dizer que essa melhoria não possa ser feita.

Hoje em dia uma das soluções mais utilizadas para revestir paredes já prontas e garantir conforto acústico é o drywall.

O drywall é um sistema que utiliza chapas de gesso acartonado em uma estrutura acoplada. O desempenho acústico do drywall é superior ao da alvenaria convencional. Um imóvel com uma parede em drywall terá melhor isolamento e absorção acústica do que uma parede de alvenaria com função similar. Uma parede simples em drywall com apenas 73 mm de espessura apresenta desempenho acústico equivalente ao de uma parede de meio tijolo, com 140 mm de espessura e peso quase cinco vezes maior. Apesar de toda essa eficiência, o uso de mantas isolantes como forro em paredes de drywall (lã de vidro ou a lã de rocha) é garantia de melhor condicionamento acústico em um ambiente.

O post Isolamento acústico residencial é essencial em imóveis novos e antigos apareceu primeiro em Soluções para tratamento acústico revestimento acústico e isolamento acústico.
Veículo: Emarket
Tipo de mídia: Online
URL: www.amplitudeacustica.com.br/blog/isolamento-acustico-residencial-e-essencial-em-imoveis-novos-e-antigos/


Baixar PDF

Assessoria de Imprensa Drywall
Rua Julio Diniz, 56 cjto 41 - Vila Olimpia
04547-090 - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3842-2433
email: imprensa@drywall.org.br

17/10/2017   Saiba mais sobre o drywall e conheça suas vantagens
01/10/2017   Parceiras de trabalho
12/09/2017   Mercado brasileiro de drywall investe em informação para crescer

ver todos