Sistemas Drywall: forros, paredes, revestimentos, mobiliário Paredes Paredes Forros Revestimentos Mobiliários
Acadêmico Consumidor Imobiliário Profissional

Dicas

Dicas

Resistência é mais uma característica do drywall

Drywall é resistente? A resposta a essa pergunta, freqüentemente formulada por pessoas que não conhecem a tecnologia da construção a seco, é “sim”. Os sistemas drywall – utilizados em paredes, forros, revestimentos e outras soluções arquitetônicas e de decoração – também se caracterizam pela resistência e estabilidade. Isso se deve à rigidez de sua estrutura, montada com perfis de aço galvanizado, permitindo que em uma parede drywall, por exemplo, sejam fixados sem problemas armários, estantes e suportes para TV ou forno de microondas.

O consultor técnico da Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall, Carlos Roberto de Luca, explica: “Muitas pessoas imaginam que, por sua leveza e rapidez de montagem, os sistemas drywall são frágeis. Trata-se de um engano. Uma parede drywall, como o próprio nome indica, é uma parede e não uma divisória. Seu desempenho é o mesmo de uma parede de alvenaria, até com vantagens na acústica e na proteção contra o fogo”. O conhecimento dessas características, acrescenta de Luca, é que tem levado os maiores incorporadores e construtores do país a optar por essa tecnologia, a exemplo do que ocorre há muito tempo nos países mais desenvolvidos. O drywall existe há mais de cem anos nos Estados Unidos e há mais de 70 na Europa e seu uso vem crescendo rapidamente no Brasil, não só em edificações comerciais, mas igualmente em prédios residenciais e casas. Prova desse crescimento é que, no ano passado, o consumo de chapas para drywall, principal indicador de uso dessa tecnologia, aumentou 8% no país, índice bem superior ao do desempenho da construção civil como um todo.

Perfis de aço
Os perfis de aço utilizados nas estruturas são os principais responsáveis pela resistência mecânica dos sistemas drywall. Obedecem a normas técnicas da ABNT, que determinam critérios rigorosos de qualidade, com destaque para dois fatores principais: são produzidos a partir de chapas de aço mais robustas, com 0,50 mm de espessura, e recebem uma camada mais espessa de galvanização (ou zincagem), de 275 g/m2, assegurando-lhes maior resistência ante as diferentes condições climáticas e ambientais existentes no Brasil.

Adicionalmente, os sistemas drywall, quando foram introduzidos no mercado brasileiro pelos três fabricantes instalados no país (BPB Placo, Knauf e Lafarge Gypsum), foram testados pelo IPT, que emitiu as respectivas referências técnicas, que depois deram origem à normas da ABNT para chapas e perfis. O IPT também vem testando, nos últimos dois anos, todos os componentes do sistema fabricados pelas empresas que aderiram ao Programa Setorial da Qualidade do Drywall (PSQ-Drywall), vinculado ao Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Hábitat (PBQPH), do Ministério das Cidades, idealizado para ser o principal sistema de certificação da qualidade dos produtos e serviços da construção civil brasileira.

ver todos